Na cerimónia de abertura do 30º Congresso, que decorreu de 4 a 6 de novembro, em Braga, o bastonário da OMD lamentou que a ministra da Saúde não tenha aceitado o convite para estar presente no evento. Miguel Pavão prometeu fazer chegar a Marta Temido “uma proposta para a criação de uma comissão de estratégia e planeamento para a saúde oral, que permita corrigir e recuperar as falhas e os atrasos de muitos anos”.

.

No seu discurso, o responsável salientou que, apesar da “densa nuvem de incerteza política que o país vive tornar mais difícil fazer promessas e estabelecer compromisso, não é possível continuar sem agir, sobretudo quando estão disponíveis fundos estruturais que não podem ser desperdiçados. Se o Plano de Recuperação e Resiliência não é uma panaceia para todos os males, ao menos que sirva para reformar e reestruturar uma dimensão da saúde que não tem os alicerces ainda suficientemente sólidos e estabilizados”.

Medalha de Ouro para Miguel Albuquerque

A OMD atribuiu a Medalha de Ouro ao presidente do Governo Regional da Madeira durante a cerimónia de abertura do 30.º Congresso. Por incompatibilidades de agenda, Miguel Albuquerque não pôde estar presente e delegou no secretário Regional.

Pedro Ramos, no discurso após receber a Medalha de Ouro, em nome do presidente do Governo Regional da Madeira, sublinhou a estreita colaboração com a OMD e recordou que “a saúde oral na Madeira tem cerca de 30 anos. Foi em 1991 que contratámos o primeiro médico dentista para o Serviço Regional de Saúde. Em 2011, tivemos a primeira escala de médicos dentistas no serviço de urgência no Hospital Nélio Mendonça e, ao longo dos anos, fomos construindo todos os programas que são necessários para ter impacto na população, para diminuir os seus riscos e ter uma melhor saúde oral”. “O “Aumentar sorrisos para as grávidas”, o programa “Madeira a sorrir” até aos 13 anos, o programa dos mais de 65 anos e depois, em 2017, o programa de intervenção precoce para o cancro oral”, prosseguiu.

O bastonário da OMD, Miguel Pavão, enalteceu o trabalho da Região Autónoma da Madeira em prol da saúde oral e sublinhou que “é um exemplo do que se pode conseguir quando as ordens e os governos trabalham em conjunto e cooperem. Prova disto é também o processo de criação da carreira do Médico Dentista na Região Autónoma da Madeira, durante o qual a OMD e o Governo Regional conseguiram estabelecer um marco para a medicina dentária nacional, com benefícios para o vínculo dos médicos dentistas no Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira e, sobretudo, para todos os utentes da região autónoma. A Madeira mostra-nos que é possível irmos mais longe na saúde oral, sedimentado um percurso que aposta na medicina dentária e que beneficia a saúde dos cidadãos”.

Este ano, a Madeira criou a primeira carreira pública em Portugal para os médicos dentistas e Pedro Ramos considerou que “ainda falta construir muito mais coisas. Vamos continuar a trabalhar com a OMD, temos ainda assuntos para resolver no âmbito da saúde oral. O futuro é contratar mais médicos dentistas, ainda temos três centros de saúde sem médicos dentistas, e temos ainda de, e já está em curso, alargar o programa para utentes até aos 18 anos e criar o programa para doentes com necessidades específicas, o que também já está em curso”.

Paulo Miller, presidente da Comissão Organizadora do 30º Congresso da OMD.

Miguel Pavão, bastonário da OMD, e Paulo Miller, presidente da Comissão Organizadora do 30º Congresso da OMD.

Marco Landi, presidente do Conselho Europeu de Médicos Dentistas.(CED)

Em representação de Miguel Albuquerque, Pedro Ramos, secretário Regional da Saúde e Proteção Civil, recebe a medalha das mão de Miguel Pavão, bastonário da OMD.
Pedro Ramos, secretário Regional da Saúde e Proteção Civil da RAM.