25 de novembro 2019

Tomar

21:00 a 23:00

Hotel dos Templários

Preço 0

53 vagas disponíveis

Os traumatismos da região orofacial afectam cerca de 30% de pacientes em idade pediátrica, representando um desafio especial para o médico dentista.

As lesões traumáticas na dentição decídua são mais comuns entre o primeiro e segundo ano de vida da criança, altura em que começa a andar mas ainda não coordena bem os seus movimentos nem tem reflexos de protecção. A abordagem de tratamento é distinta da dentição permanente e o tratamento irá sempre no sentido de evitar danos adicionais ao sucessor permanente.

Relativamente às lesões traumáticas em dentição permanente jovem, as crianças entre os 7 e 11 anos de idade são as mais afectadas, com a maior incidência a surgir por volta dos 9 anos de idade no género masculino, geralmente associadas à prática desportiva.

Atendendo às elevadas taxas de prevalência, bem como, ao impacto negativo na criança a nível estético, funcional e psicológico torna-se necessário elaborar um plano de tratamento apropriado para assim obter um bom prognóstico. A “International Association of Dental Traumatology (IADT)” desenvolveu e publicou pautas de actuação a seguir na abordagem dos diferentes tipos de traumatismo. Utilizando os procedimentos recomendados os profissionais poderão maximizar as probabilidades de sucesso no tratamento de lesões traumáticas.

Nesta apresentação far-se-á uma abordagem aos diferentes tipos de traumatismos em dentição decídua e permanente jovem através da apresentação de casos clínicos tendo como base as “Guidelines” da IADT.

Curso ministrado por

Maria Teresa Xavier

  • Prática exclusiva em odontopediatria
  • Médica dentista, licenciada pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC)
  • Assistente convidada de Odontopediatria do Mestrado Integrado de Medicina Dentária, FMUC
  • Aluna de doutoramento em Ciências da Saúde, FMUC
  • Mestrado em Medicina Legal e Ciências Forenses, FMUC
  • Pós-graduação em Odontopediatria pela New York University