3 de junho 2019

Porto

21:00 a 23:00

Hotel Crowne Plaza Porto

A doença cárie dentária deve ser encarada de um ponto de vista preventivo, limitando ou mesmo inibindo a sua expressão em lesões de cárie que impliquem a perda de estrutura dentária e a implementação de tratamentos mais invasivos.

Cada vez mais estão disponíveis técnicas e materiais que nos permitem controlar a formação e acumulação de um biofilme disfuncional. É fundamental a determinação individualizada do risco de cárie e de progressão da doença para estabelecer um correcto programa preventivo.

O controlo da flora microbiana por meios mecânicos e químicos assim como a utilização de agentes remineralizantes, permite alcançar excelentes resultados no reequilíbrio do biofilme e reverter o processo de desmineralização provocado por maus hábitos alimentares e de higiene oral.

Existem situações em que a doença cárie já se manifesta em lesões de cárie com perda de estrutura dentária e que, por este motivo, implicam a realização de tratamentos restauradores.

A evolução das técnicas a implementar tem caminhado cada vez mais no sentido das técnicas minimamente invasivas e o mais conservadoras possível. São exemplo as técnicas ART (Atraumatic restorative technique) e ITR (Interim therapeutic restorarions), técnica de Hall, técnicas de infiltração de resina, entre outras.

Curso ministrado por

Cristina Cardoso Silva

  • Médica dentista, licenciada pelo ISCS-N em 2003
  • Máster em Odontopediatría pela Faculdade de Odontologia da UCM em 2007
  • Máster em Ciências Odontológicas pela Faculdade de Odontologia da UCM em 2009
  • Doutorada em Odontopediatría na Faculdade de Odontologia da UCM desde 2010
  • Professora colaboradora do Master em Odontopediatría da Faculdade de Odontologia da UCM
  • Professora Associada de Odontopediatria na Universidade Fernando Pessoa
  • Autora de publicações em revistas nacionais e internacionais na área da Odontopediatria
  • Autora de conferências nacionais e internacionais na área da Odontopediatria