Classe III Funcional em Adulto: Caso Clínico

Póster > Casos clínicos > Ortodontia

Hall dos Pósteres – 12 novembro, 14h30 – 15h30 – Ordem nº 30
Candidato a prémio

Álvaro Benzinho

Universidade do Porto

João Pedro Azevedo
Gil Fernandes Alves

Descrição caso clínico

Paciente de 41 anos de idade, do sexo masculino, sem história clínica relevante, chegou ao consultório dentário apresentando classe III aparentemente esquelética. Após exame clínico intra e extraoral observou-se que, com uma correta manipulação da mandíbula, a oclusão atingia classe I topo-a-topo. O plano de tratamento passou, inicialmente, pelo uso de uma goteira de oclusão em relação cêntrica, para uma desprogramação neuromuscular, durante 12 meses Após utilização de goteira, foi feita montagem em articulador e estudo cefalométrico. O paciente foi então, informado que a utilização de aparelho fixo poderia ter uma duração de 30 meses sendo colocado apenas o superior inicialmente e posteriormente o inferior. Foi igualmente informado que poderia ainda necessitar de intervenção ortognático-cirúrgica.

Discussão

A má oclusão de Classe III de Angle é caracterizada por uma relação dentária antero-posterior inadequada, que pode ou não estar acompanhada de alterações esqueléticas. Em geral, o aspeto facial fica bastante comprometido, principalmente quando associado à deficiência no terço médio, sendo esse, o principal fator que motiva o paciente a procurar o tratamento ortodôntico. O diagnóstico e o plano de tratamento na má oclusão Classes III difere conforme a predominância de uma componente esquelética e/ou posicionamento funcional da mandíbula. O paciente deve ser informados do tempo de duração do tratamento e da possibilidade de necessitar de cirurgia ortognática após o tratamento, dependendo a progressão do caso.

Conclusão

Correção da linha média, boa simetria, adequada exposição dos incisivos superiores.

Palavras-chave

Classe III Angle, má oclusão, dente, mordida cruzada, mandibula, cirurgia