Influência hormonal no movimento dentário – revisão narrativa

Póster > Revisão > Ortodontia

Hall dos pósteres – 6 novembro, 17h30 – 18h30 – Ordem nº 88

Cláudia Susana Pinto

Universidade Católica Portuguesa

Armandino Alves
Alexandra Reis
Carlos Viegas
Estela Bastos

Introdução

O movimento dentário ocorre como consequência da remodelação periodontal, dependendo de diversos fatores, nomeadamente do nível de estrogénios. Os estrogénios influenciam a composição e a degradação das fibras de colagénio do ligamento periodontal e a remodelação do osso alveolar.

Baixos níveis de estrogénios estimulam a produção de fatores relacionados com a reabsorção óssea, afetando a diferenciação e a atividade dos osteoclastos. Os estrogénios podem inibir a atividade dos osteoclastos, modulando a reabsorção óssea. Vários estudos concluem que a deficiência em estrogénios acelera o movimento dentário, mas existem poucos estudos que correlacionem o aumento dos níveis de estrogénios com a taxa de movimento dentário.

Objetivos

Este trabalho tem como objetivo perceber a relação entre os níveis de estrogénios e a velocidade do movimento dentário, bem como a manifestação desses mecanismos a nível celular e molecular.

Materiais e métodos

Foi feita uma pesquisa na Pubmed, através das palavras “Estrogens” e “tooth movement”. Foram selecionados os artigos publicados nos últimos 10 anos.

Resultados

Verifica-se que a diminuição dos níveis de estrogénios está associada ao aumento dos osteoclastos na zona de pressão, uma diminuição de osteoblastos na zona de tensão e aumento dos mediadores relacionados com a reabsorção óssea, tais como IL–1, IL–6, TNF-α, M-CSF.

Conclusões

Conclui-se que a deficiência de estrogénios está relacionada com a aceleração do movimento dentário.

Implicações clínicas

As alterações hormonais fisiológicas da mulher, podem condicionar o movimento ortodôntico. Pretende-se entender as consequências destas alterações no movimento dentário.

Palavras chave

estrogénios, movimento dentário, remodelação óssea.