Horácio Escobar

Tratamento ortodôntico na criança: do diagnóstico à intervenção precoce… na mordida aberta anterior

Director da “Gnathos, Centro de Estudos de Ortodontia”, Madrid, Espanha.

Diretor e docente dos cursos da Fundação Gnathos na Europa.

Ortodontista com práctica exclusiva em Madrid, Espanha.

Co-autor do livro “Ortodoncia y Cirugía Ortognática. Diagnóstico y Planificación”. Editorial Espaxs. Barcelona. Espanha.

Co-autor do livro “El Tratamiento Ortodóncico con Arco Recto”. Editorial NM Ediciones. Buenos Aires Argentina.

Professor convidado do curso de Especialização em Ortodontia da Universidade de Belgrano, Buenos Aires, Argentina.

Professor convidado do curso de Especialização em Ortodontia da Universidade Católica de Montevideo, Uruguay

Autor de diversos artigos da especialidade.

Nacionalidade: Chile

Área científica: Ortodontia

2013/11/22 18:15 – 2013/11/22 19:00 | Auditório VIII

Resumo da apresentação

O crescimento vertical da face é determinado pela direção dos vetores de crescimento, que através da expressão da sua condição genética, e também pelas mudanças provocadas pelas alterações funcionais que ocorrem durante o período de crescimento do paciente, pode acabar em mordida aberta de diferentes tamanhos e faces com o terço inferior aumentado.

É óbvio que as mordidas abertas de origem estrutural ou esquelética, cujo comprometimento acontece a nível das bases maxilares, impliquem sempre um compromisso, mais ou menos significativo, das estruturas que são condicionadas no seu crescimento por alterações funcionais, tais como, os rebordos alveolares e a própria dentição. Isto significa que as alterações nas estruturas basais são sempre acompanhadas de alterações dento-alveolares que podem, de alguma forma, camuflar ou ampliar a expressão clínica da mordida aberta.

O tipo de tratamento destas situações difere dependendo da idade. Desde tratamentos através de vários dispositivos ortopédicos visando a reabilitação miofuncional, em idades precoces. Ou tratamento em idades mais avançadas, utilizando uma variedade de recursos biomecânicos ortodôntico. E, por ultimo, o tratamento ortodôntico cirúrgico ortognático com o intuito de harmonizar os diferentes componentes esqueléticos e equilibrar as proporções faciais e proporcionar um benefício estético para o paciente.

Com os novos recursos biomecânicos disponíveis em Ortodontia, a propósito da utilização mais ou menos generalizada dos micro-implantes, cuja implementação em diferentes áreas do rebordo alveolar nos permite obter uma variedade de diferentes vetores, para o redirecionamento de forças ortodônticas, é possível executar movimentos dentários ortodônticos mais controlados e diminuir a quantidade de movimentos indesejados. Esta evolução da biomecânica permite questionar as abordagens mais complexo para solucionar este tipo de problemas.

Surgiu, então, uma alternativa no âmbito dos recursos ortodônticos para abordar este tipo de alterações com compromisso estrutural como é o caso da mordidas abertas esqueléticas.