Técnica semi-direta para restauração de dente posterior – uma opção de tratamento

Póster > Casos clínicos > Dentisteria Operatória

Galerias do Pavilhão 2 (Expo-Dentária) – 12 Novembro , 09h00-10h30 – Ordem nº

O presente caso clínico tem como objetivo descrever a técnica semi-direta extra-oral para confeção em consultório de restauração em resina composta num dente posterior com destruição coronária extensa.

Na primeira sessão, após a remoção da restauração pré-existente foi feito o preparo cavitário ligeiramente expulsivo e o selamento dentinário imediato (Optibond FL®Kerr).

Realizou-se a impressão em alginato das hemiarcadas, a partir da qual se obteve o modelo de trabalho em silicone de adição (Affinis SinglePhase®Coltène).

A troquelização do modelo e a delimitação dos términos do preparo foram realizados permitindo confecionar em mão, a restauração em resina composta (Miris®Coltène), pela técnica incremental, seguindo os conceitos anatómicos e funcionais do dente natural.

Após a confeção, a restauração foi removida do modelo e uma fotopolimerização adicional foi realizada em todas as suas faces.

Na segunda sessão, removeu-se a restauração provisória e fez-se a prova na cavidade, verificando a adaptação às margens e os contatos proximais. Realizou-se o condicionamento da peça e do dente e, sob isolamento absoluto, realizou-se uma cimentação adesiva.

A melhoria das propriedades mecânicas e a evolução dos sistemas adesivos consolidaram a aplicação das resinas compostas em dentes posteriores. No entanto, alguns problemas podem ser evidenciados na sua utilização direta, destacando a contração de polimerização.

A utilização semi-direta de resinas compostas faz com que a contração de polimerização ocorra no modelo de trabalho, reduzindo tensões sobre a linha de união dente/restauração. Salienta-se a facilidade de reprodução da forma anatómica do elemento dentário.

Esta técnica de consultório, sem custos laboratoriais adicionais, torna este procedimento uma alternativa estética, funcional e economicamente viável. Proporciona autonomia ao profissional quanto à programação do tempo entre sessões e quanto às características estéticas e funcionais do tratamento.