Efeito de bebidas ácidas sobre o esmalte humano: estudo in vitro

Comunicação oral > Investigação > Dentisteria Operatória

Auditório III – 10 Novembro , 9h30 – Ordem nº

Universidade de Coimbra

Introdução

A erosão dentária traduz uma perda dos tecidos duros dentários, devido a processos de dissolução ácida sem envolvimento de microorganismos. A ingestão de bebidas ácidas tem sido associada ao aumento desta patologia. Em alguns países a erosão dentária já é considerada um sério problema de saúde oral (incidência entre 5 a 60%).

Objectivo

Avaliar o efeito de 3 bebidas ácidas na microrugosidade do esmalte humano.

Materiais e Métodos

Utilizaram-se 40 amostras de esmalte humano, distribuídas aleatoriamente por 4 grupos (n=10) de acordo com a bebida avaliada. G1:Coca-Cola®; G2:Red Bull®; G3:Isostar®; G4: água (grupo controle). As amostras foram imersas nas bebidas durante 14 dias a 37°C. A rugosidade (Ra) foi determinada, antes e depois da imersão, usando perfilometria a LASER.

Adicionalmente, foram estudadas 3 amostras de cada grupo por microscopia electrónica de varrimento (MEV). Os resultados foram analisados estatisticamente com os testes ANOVA e t–student (p<0.05; IC 95%).

Resultados

Os valores de Ra antes/depois da imersão (em μm±dp) foram: G1:0,33±0,05 / 0,89±0,55; G2:0,21±0,06 / 1,58±0,66; G3:0,18±0,07 / 1,64±1,23; G4: 0,19±0,04 / 0,21±0,03. Após a imersão, os 3 grupos com bebidas ácidas apresentaram rugosidades estatisticamente superiores ao grupo controle e aos respectivos valores iniciais pré-imersão.

As bebidas isotónicas (G2 e G3) desenvolveram rugosidades superiores à bebida ácida do G1. Não se verificaram diferenças significativas na rugosidade inicial pré-imersão dos 4 grupos. As imagens de MEV demonstraram alterações ultramorfológicas compatíveis com os resultados da perfilometria.

Conclusões

Todas as bebidas ácidas comerciais testadas, particularmente as isotónicas, parecem possuir um potencial erosivo responsável por um aumento significativo da rugosidade superficial do esmalte.

Importância clínica

Dado o aumento no consumo de bebidas isotónicas, é importante introduzir uma alteração de hábitos alimentares e de higiene que neutralizem ou atenuem o seu potencial erosivo, como o consumo por cânulas ou complementado por bebidas neutras.