Cheen Loo

Materiais bioativos em medicina dentária | Diamino fluoreto de prata: qual é o seu lugar na saúde oral?

  • Diretora, regente e professora do programa de pós-doutoramento no Departamento de Odontologia Pediátrica da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade Tufts, localizada em Boston, USA
  • Licenciou-se e doutorou-se na Universidade de Sydney, na Austrália
  • Completou o seu mestrado em Saúde Pública e a especialidade em Odontopediatria na Universidade de Boston
  • Doutoramento em Medicina Dentária na Faculdade de Medicina Dentária da Universidade Tufts (TUSDM)
  • Diplomada do Conselho Americano de Odontopediatria
  • Integra a Academia Americana de Odontologia Pediátrica
  • Membro do Colégio de Diplomados da American Board de Odontopediatria (ABPD), da Academia Americana de Pediatria e da Associação das Academias de Educação Dentária
  • Membro da subcomissão da Comissão de Exame da ABPD

Nacionalidade: EUA

Área científica: Odontopediatria

9 de novembro, das 14h30 às 19h00

Auditório C

Resumo da conferência

Materiais bioativos em medicina dentária
O conceito de material bioativo foi reconhecido pela primeira vez em 1969. Desde então, a área de materiais bioativos expandiu-se de uma forma rápida tanto na medicina quanto na medicina dentária. Durante vários anos, a bioatividade na medicina dentária tem sido associada apenas à libertação de flúor e à conversão da hidroxiapatite na sua forma mais forte, a fluorapatite.

Nas últimas duas décadas, a medicina dentária tem observado um aumento significativo no interesse e desenvolvimento de materiais bioativos, uma vez que novos produtos parecem oferecer benefícios significativos quer para os clínicos quer para os pacientes. As aplicações de materiais bioativos em medicina dentária incluem remineralização da dentina, manutenção de restaurações de longo prazo e tratamento endodôntico.

Materiais bioativos estão disponíveis em uso clínico como materiais restauradores (Activa BioACTIVE-Restorative), revestimentos para terapia polpar (TheraCal) e relacionados com a doença periodontal (vidro bioativo). Formulas como cimentos de silicato tricálcico (Biodentine) e aluminato de cálcio / ionómero de vidro (Ceramir C & B) aumentaram a expansão da utilização de materiais bioativos para incluirem agentes temporários liner/base, restaurações temporárias cimentação permanente. Os selantes de canais radiculares à base de silicato de cálcio (EndoSequence® BC Sealer, BioRoot RCS) são os materiais bioativos mais recentemente desenvolvidos para o tratamento endodôntico.

À medida que as propriedades mecânicas e físicas melhoram nessas várias modalidades e as suas componentes químicas evoluem, a sua área de utilização e as indicações clínicas continuarão a aumentar. Os recentes desenvolvimentos nesta área em evolução na medicina dentária serão revistos e o notável potencial que os materiais bioativos têm para os clínicos será destacado.

Diamino fluoreto de prata: qual é o seu lugar na saúde oral?
Compostos de prata têm sido utilizados pelas suas propriedades médicas á séculos e na medicina dentária á mais de um século. Nos últimos anos, o uso de uma solução tópica de flúor, nomeadamente o fluoreto de diamina de prata (SDF), no tratamento dentário tem atraído cada vez mais atenção.

O SDF é uma solução que contém prata iônica, flúor e amónia, que impede a progressão de lesões cariosas e impede o desenvolvimento de futuras cáries. O componente fluoreto da SDF contribui para a remineralização e formação de fluorapatite, enquanto a prata fornece a atividade antimicrobiana para o material e inibe a formação de biofilme.

O SDF tem sido utilizado em alguns países, incluindo o Japão e a China, como um agente anti-cárie e anti-hipersensibilizante. Em 2014, o SDF foi aprovado pela Food and Drug Administration dos Estados Unidos como um tratamento para a sensibilidade dentinária. Resultados promissores de estudos de laboratório e ensaios clínicos sugeriram que o SDF é mais eficaz do que outros agentes de flúor para suster o processo de cárie. Esta palestra fornecerá uma visão geral do uso clínico de SDF no tratamento em medicina dentária.

Patrocinador científico
COLGATE