Luís Filipe Correia

Conseguem os seguros, planos de saúde e convenções assegurar o superior interesse do paciente?

  • Licenciado em Medicina Dentária pela FMDUP em 1987.
  • Especialista em Cirurgia Oral pela OMD.
  • Presidente do Conselho Deontológico e de Disciplina desde 2013.

Nacionalidade: Portugal

Áreas científicas: Na Ordem do Dia (seguros)

18 de novembro, de 17h30 às 19h00

Sala 2

Resumo da conferência

A medicina dentária é uma atividade com custos inerentes, pelos quais é devido um pagamento de honorários.

Isto é, um pagamento de honra realizado pelo doente ao médico dentista pela prestação dos melhores cuidados possíveis em saude oral.

Estes honorários podem ser fixados livremente, mas de acordo com a complexidade, dificuldade, diferenciação e tempo gasto com ato médico dentário.

Os seguros, os planos de saúde e as convenções são modelos de negócio encontrados pelos vários players que entram no negócio da saúde e que têm como objetivo principal baixar os custos dos tratamentos dentários aos seus destinatários e incrementar o número de utentes e de tratamentos a serem prestados pelos médicos dentistas.

Estamos perante a contratualização e comercialização de um modelo de negócio por parte de empresas com a aceitação livre e esclarecida por parte de muitos médicos dentistas.

Quem deve então avaliar a qualidade dos tratamentos prestados? Quem deve avaliar o income económico que isso traz aos prestadores de serviços? Quem deve regular e inspeccionar se as clinicas cumprem com os níveis mínimos de cuidados higio-sanitários?

Conferencista da sessão “Na Ordem do Dia” com o título Conseguem os seguros, planos de saúde e convenções assegurar o superior interesse do paciente?.