Jeffrey P. Okeson

Dor orofacial não odontogénica: um diagnóstico desafiante.

  • Professor e Reitor da Faculdade de Medicina Dentária, Universidade do Kentucky, EUA
  • Fundador do Programa de Dor Orofacial da Faculdade de Medicina Dentária em 1977
  • Mais de 240 publicações na área de oclusão, distúrbios da ATM e dor orofacial, para além de 2 livros
  • Mais de 1300 palestras sobre a DTM e dor orofacial, em todos os 50 estados dos EUA e em 59 países
  • Recebeu múltiplos prémios de ensino incluindo “The Academic Dentist of the Year Award” (o maior prémio reconhecido pela Academia, concedido em reconhecimento pelos seus esforços mundiais em fornecer educação na área da DTM e dor orofacial)

Nacionalidade: EUA

Área científica: Oclusão

Auditório A

Resumo da conferência

O diagnóstico diferencial da dor orofacial é um aspeto bastante desafiante da prática dentária.

A complexidade de rede neuronal que envolve a região craniocervical estabelece um ambiente para muita confusão no diagnóstico.

Existem muitas condições que podem mimetizar a dor odontogénica ou mastigatória. O tratamento e/ou encaminhamento adequado baseia-se na identificação precisa dessas doenças, síndromes e condições clínicas.

Esta apresentação irá fornecer uma revisão de conceitos básicos atuais dos mecanismos da dor, vias e padrão de referência na cabeça e pescoço.

Serão apresentadas as características clínicas de sete diferentes dores de dentes não odontogénicas.

Objetivos educacionais:

  • Na conclusão desta apresentação, cada médico dentista deve ser capaz de :
  • Compreender os mecanismos responsáveis pelo encaminhamento da dor nas estruturas orofaciais.
  • Reconhecer e diferenciar distúrbios comuns de dor orofacial que se podem apresentar clinicamente como dor de dentes.
  • Ser capaz de diferenciar a dor de dente não odontogénica da verdadeira dor de dentes odontogénica.
  • Compreender sete tipos distintos de dor de dentes não odontogénica e as respetivas considerações para a sua gestão.