Entrada > Notícias > 2017 > Março > Ordens profissionais debateram financiamento da saúde

Ordens profissionais debateram financiamento da saúde

Publicado em 2017-03-10 18:45
As oito ordens profissionais do setor da saúde realizaram um encontro na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, em participou o ministro da Saúde, Presidente da República e partidos políticos
Ordens profissionais debateram financiamento da saúde

As associações públicas profissionais da saúde realizam no sábado, 4 de março de 2017, um encontro para debater “O futuro do financiamento da Saúde em Portugal”.

A sessão de abertura contou com a participação do ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, e a sessão de encerramento com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (abrir vídeo da intervenção).

O encontro dividiu-se em dois painéis. O primeiro, dedicado à "Programação do investimento público - que experiências?", contou com a participação de Fernando de Melo Gomes, Pedro Ferreira e José Carlos Lopes Martins, tendo sido moderado pela jornalista da SIC Dulce Salzedas.

No segundo painel, sobre "Lei de programação na saúde em Portugal - que futuro?", participaram representantes dos grupos parlamentares na Assembleia da República PSD, PS, BE, CDS-PP e PCP. O ex-bastonário da Ordem dos Médicos, José Manuel Silva, moderou esta discussão.

Consulte o programa do encontro das ordens profissionais da saúde na integra (pdf).

O evento foi organizado pelas ordens profissionais dos Biólogos, Enfermeiros, Farmacêuticos, Médicos, Médicos Dentistas, Médicos Veterinários, Nutricionistas e Psicólogos, que deixaram o seu contributo através de vários vídeos emitidos no arranque da conferência.

A Ordem dos Médicos Dentistas centrou as suas propostas nas seguintes ideias:

  • O Sistema de Saúde português vai para além do Serviço Nacional de Saúde.
  • A população tem necessidades que não comportam visões redutoras do Estado.
  • É fundamental nos termos da Constituição e da Lei de Bases da Saúde a complementaridade com o setor Privado e o Social.
  • O nosso SNS desde sempre excluiu no essencial o acesso a cuidados básicos de saúde oral e à medicina dentária.
  • Assegurar a acessibilidade da população à medicina dentária.
  • Necessidade de ajustamento da formação e qualificação dos médicos dentistas.

Orlando Monteiro da Silva, bastonário da OMD, aproveitou o debate para reforçar junto do poder político a necessidade de proporcionar a toda a população o acesso a serviços de medicina dentária nos cuidados de saúde primários e nos hospitais do SNS, entre outras medidas. Aceda ao vídeo de abertura do bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas.

 

O encontro começou com emissão de vários vídeos apresentados pelos bastonários das ordens profissionais. Consulte o vídeo apresentado pelo bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas, Orlando Monteiro da Silva.

 

 

Guilherme d'Oliveira Martins, da Fundação Calouste Gulbenkian, onde o encontro decorreu.

Adalberto Campos Fernandes, ministro da Saúde.

Audiência composta por profissionais de saúde.

Mesa do painel "Programação do investimento público - que experiências?". Da esquerda para a direita, José Carlos Lopes Martins, Pedro Ferreira, Dulce Salzedas (jornalista SIC, moderadora), Fernando Melo Gomes e Guilherme d'Oliveira Martins.

Mesa do painel "Lei de programação na saúde em Portugal - que futuro?". Da esquerda para a direita, Moisés Ferreira (BE), Marco António (PSD), José Manuel Silva (ex-bastonário da Ordem dos Médicos, moderador), José Miguel Boquinhas (PS), Artur Lima (CDS/PP) e Carla Cruz (PCP).

Marco António, PSD.

José Miguel Boquinhas, PS.

Moisés Ferreira, BE.

Artur Lima, CDS/PP.

Carla Cruz, PCP.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, encerrou o encontro das ordens profissionais da saúde dedicado ao futuro do financiamento da saúde em Portugal. Consulte o vídeo do discurso do Presidente da República.

Na sessão de encerramento, presidente do Conselho Nacional das Ordens Profissionais (CNOP) e bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas, Orlando Monteiro da Silva, com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.