Entrada > Médicos Dentistas > Manual de intervenção para as doenças crónicas

Manual de intervenção para as doenças crónicas

As doenças não transmissíveis (DNT), ou doenças crónicas, que incluem as doenças cardiovasculares e respiratórias, cancro, diabetes, entre outras, são uma das principais causas de morte prematura e responsáveis por cerca de 60% das mortes em todo o mundo

 

O papel da saúde oral foi recentemente reforçado através da sua menção específica na declaração política emanada da Cimeira das Nações Unidas sobre doenças não comunicáveis. As doenças orais não são responsáveis por taxas de mortalidade elevadas, mas a cárie dentária e a doença periodontal afetam mais de 90% da população mundial e têm um enorme impacto na saúde. A cárie dentária, doença oral mais prevalente e que afeta biliões de pessoas em todo o mundo, é um desafio importante para a saúde pública.

Para a Aliança Mundial das Profissões de Saúde (WHPA), que representa mais de 26 milhões de profissionais de saúde, incluindo médicos dentistas, médicos, fisioterapeutas, farmacêuticos e enfermeiros de mais de 130 países, a epidemia das doenças não transmissíveis à escala global constitui uma enorme preocupação, uma vez que representa uma ameaça significativa à saúde e ao desenvolvimento humano. Se as DNT não forem combatidas, o número de pessoas com estas doenças continuará a aumentar.

No entanto, a maioria das DNT podem ser evitadas com a prática de uma dieta saudável, o aumento da atividade física, a cessação do consumo de tabaco e a redução do consumo abusivo do álcool. E estes fatores são facilmente detetáveis pelos médicos dentistas na comunicação com os seus pacientes.

O Manual de Intervenção para as Doenças Não Transmissíveis, lançado pela WHPA, agora traduzido pela OMD e disponibilizado no site para download, tem como objetivo ser um instrumento de carácter prático, que deverá ser utilizado por profissionais de saúde, pacientes e público em geral sobre as DNT.

O Manual inclui um “Cartão de Melhoria da Saúde”, um “Guia para Profissionais de Saúde” e um “Guia para Pacientes e Público em Geral”. A atenção é focalizada no “Cartão de Melhoria da Saúde”, uma simples ferramenta que os médicos dentistas, deverão utilizar na comunicação com os seus pacientes e o público em geral como objetivo de informar sobre o que pode ser feito para melhorar a saúde, implementando mudanças positivas no comportamento e no estilo de vida.

Concentra-se nos fatores de risco, ajuda o indivíduo a avaliar o risco pessoal, em consulta com o seu médico dentista e define um plano de ação com metas a atingir tendo em vista os fatores de risco.

Para Orlando Monteiro da Silva, bastonário da OMD, “este manual da WHPA orgulha a nossa classe e procura potencializar o papel chave que os médicos dentistas devem desempenhar na luta contra as DNT.”

A inegável ligação entre DNT e doenças orais faz com que os médicos dentistas ocupem um lugar privilegiado na avaliação, diagnóstico e na referenciação dos pacientes no que se refere aos factores de risco. A medicina dentária e os seus profissionais têm acesso não só aos sintomas das doenças orais, mas também aos comportamentos de risco.

Seja no consumo de álcool ou tabaco, através de manchas e alterações nos dentes e mucosas, seja no consumo excessivo de açúcar e bebidas doces, através do nível de cáries. “É nossa firme convicção que este Manual de Intervenção será uma ferramenta útil para os médicos dentistas”, afirmou.